Segunda-feira, Junho 11, 2001

flores não foram feitas para nós. delas vemos pouco, sentimos metade.

o cheiro indecente de tão doce, descarado de tão forte que jasmins espalham na noite quente são chamariz para outras narinas, as suas cores são para outros olhos, olhos de abelha, de borboleta, de beija-flores, que dançam na sinfonia de cores e gostos e cheiros de que só percebemos os ecos.

quem merece os encantos, as graças, o charme musical dessa moça? pra que coração e pra que boca são essa pétalas e frutos? seus aromas me perturbam o sono, me perfumam a semana, e eu os persigo pela cidade, dias afora.
(ouça aqui a versão falada)