Terça-feira, Junho 19, 2001

ela caminha graciosa, distraida.

sob seus pés, quilômetros abaixo, pedra adentro, oceanos de ferro líquido fluem, rios incandescentes se entrecruzam e giram na escuridão profunda.

daqui de cima, ao sopro da brisa e à luz das manhãs, mal se percebe. só bússolas apontam, sismógrafos sentem, tremores indicam.

ela sorri, ri, dança.

de onde está, na paz dos seus dias, nem percebe o que rubores indicam, tremores traem, silêncios apontam.

sob a pele, milímetros abaixo, artérias adentro, um coração pulsa.
(ouça aqui a versão falada)