Sexta-feira, Agosto 25, 2006

Tire-me da boca o que me engana a fome, leve os espelhos que eu engano tão bem. Que a sede do que me é seiva me ponha à altura do que ainda não sou.